Vou voar !


Quero voar
Não me pegue;
Não me prenda;
Não me apare as asas,
Por que vou voar !


Quero ir em frente
Cruzar desertos,
cortar sertões,
Ver Bem de perto
os guardiões do tempo eterno


Enlaçar o vento,
emaranhar meus cabelos,
Quero estar etéreo
Tênue, sutil e rarefeito !


Invisível
Infinito
Quero, estou indo
Vou voar alto !
.... E está dito !

2 comentários:

mauriciomorbi 8 de maio de 2007 04:25  

VC com certeza tem muito talento como escritora. A sua poesia, Vou voar!, passa a mim a sensação da
liberdade plena, que é quase uma utopia.Na minha opinião, a liber-
dade é o bem maior que todo ser humano deveria desejar. Nascenos livres, deveríamos passar toda a vida livres e partirmos dessa vida, sempre livres, como as borboletas.Parabéns.Mauricio Morbi.

Acqualunna 28 de junho de 2007 20:34  

Jessy...

me senti uma borboleta saindo do casulo apertado e escuro...

as paredes segurando-a ali dentro...
borboleta, bichinho pequeno e tao determinado... voou...


ta muito lindo!! parabéns!!!