Das eternas mortes III



*

Antes que acabem
as rendas brancas da lua
e o grito da noite,
o último medo rasgará o vento.

Enquanto quatro mãos costuram,
placidamente,
estrelas nos pés de Deus,
o horizonte imerge
numa última sonata...

Antes do nascer
do dia,
na vermelha morte da madrugada

Haverá fogo nos teus olhos
e nas duas vidas
que habitam em ti,
desesperadas por amanhecer

Uma não irá morrer.
A outra,
sim.


(Jessiely)

3 comentários:

Anônimo 3 de setembro de 2010 04:11  

Achei linda...Olhando a imagem, lembrei-me quando morei em Patos, fui trabalhar por lá em 1968, com mais duas colegas. Fomos as primeiras Enfermeiras do Sertão da are regional de Patos. Voce consegue realmente repassar não so a imagem, mas a Mensagem e o sentimento de quem é desta região. Também sou nordestina, nasci em Campina grande, mas vive até os 17 anos em Alagoas. Parabéns poetisa.. Como colocar no meu BLOG?
"Tem luar mais bonito do que o do sertão?" como dizem os poetas!

Simplesmente SôniaMaria 3 de setembro de 2010 04:15  

Revitalizando o que de melhor tem no nordeste: alma poética, e isto voce o faz, com certeza.! Coloquei outro comentário como anônima...Achei linda....
Parabés, Sõnia

blog-ternura de Deus 3 de setembro de 2010 04:17  

Estou enviando informação para voce acessar o Blog que tento escrever..
Blog-Ternura de Deus. Gostaria que o visitasse.Sõnia