Madrugáveis



estive pensando
no peso de duas estrelas
no vácuo do universo

e em dois dedos de boa prosa
com uma cachaça
no invernar do brejo

ao som de qualquer violeiro
ou dos causos perdidos
do velho Joaquim

e tudo que me faz feliz
mesmo nas horas loucas
de fogueira e violão

é eu gostar de você
e você, contudo,
também gostar de mim.



(Jessiely)

4 comentários:

Betomenezes 8 de maio de 2008 20:46  

adorei essa poesia.

é eu gostar de você
e você, contudo,
também gostar de mim.

parece letra de musica.

Alexandre Spinelli 10 de maio de 2008 12:46  

Jessiely,
Que belo poema! Que belo blog...
Conheci agora e gostei muito... grata surpresa..
Parabéns...beijo!

janice diniz 10 de maio de 2008 21:53  

Bonito e sensível. A delicadeza do texto está em acordo com a sutileza do amor. Parabéns!

Abração

http://teofilinabermacia.blogspot.com

janice diniz 10 de maio de 2008 21:53  

Bonito e sensível. A delicadeza do texto está em acordo com a sutileza do amor. Parabéns!

Abração

http://teofilinabermacia.blogspot.com