Luar Bandido




Sonho acordada
Que seguro forte as suas mãos.

Mas, você está longe,
Eu bem sei.

Porém,
Esse vento tão suave,
Esse Luar tão antigo,
Teimam em trazer-me você.

- será que se sente assim também? -

Pelas ruas em que caminhei
Fui me deixando pouco a pouco.
E em seus braços, onde adormeci,
Imprimi as formas do meu corpo.

- será que ainda lembra do quanto fui feliz? -

Agora, todas as noites.
Sento-me com a saudade
E repito que te amo:
Com a face iluminada
Pelo néon dessa cidade.

- faz-me falta o seu verso,
para embriagar-me de insanidade -

Pensativa, solitária,
Olhando um Luar vagabundo
Que cisma em me enlouquecer,
(deixo vinho esquecido, imerso em melancolia)
Fico sonhando: "Com que sonhará você?".

E dessa imersão em sentimento
Suspiro sorrindo,
Imaginando conseguir lhe falar:

- Amanhecerei ao seu lado querido,
Porque aqui tão longe,
Já nem sei mais sobreviver...
Não sou sequer feliz,
E esse Luar bandido
Não me deixa adormecer-.
( Jessiely )

2 comentários:

Thin White Duke 4 de outubro de 2007 12:24  

poesia linda do início ao fim para um amor lindo
:~

amo tu

Jessiely Soares 4 de outubro de 2007 12:25  

Amo Você Dré...

Saudades !!!!